Busca
Busca
Pagamento do IPVA: você sabe qual é o destino desse pagamento?

Pagamento do IPVA: você sabe qual é o destino desse pagamento?

Todo ano, os proprietários de veículos devem fazer o pagamento do IPVA — Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. Nesse sentido, um dos grandes questionamentos dos cidadãos brasileiros é saber para onde vai o dinheiro que é pago nesse tributo, isto é, em que ele é investido.

As secretarias de fazenda estaduais calculam o IPVA com base no valor venal dos veículos, ou seja, o preço médio de venda praticado no mercado. Então, cada estado pode estipular a alíquota que será cobrada do proprietário com base no valor de tabela dele. Posteriormente, o valor arrecadado é dividido ao meio entre estado e município ao qual o automóvel pertence. Esses entes destinarão os recursos.

Interessou-se em saber qual a destinação do pagamento do IPVA? Então, continue a leitura porque vamos contar!

Quais as finalidades da cobrança do IPVA?

Primeiramente, devemos alertar que o tributo é de cobrança compulsória e não vinculada. Isso significa que as pessoas que estão incluídas em hipóteses de incidência têm a obrigação de fazer o pagamento, e a arrecadação não se vincula à causa da cobrança.

O imposto é chamado de tributo sem causa. Os fins pelos quais o ente estatal faz a cobrança são meramente arrecadatórios aos cofres públicos. Evidentemente, esse valor deverá ser revertido em algum tipo de serviço para a população.

Qual o destino dos recursos arrecadados no IPVA?

Quando falamos que o dinheiro recebido pelos estados e municípios com o IPVA deve ser revertido em serviços à população, não necessariamente eles devem ser vinculados à circulação de automóveis ou outros aspectos desse gênero.

Na verdade, não há um destino certo pelo pagamento do IPVA. Os entes que o recebem arrecadam aos cofres e podem investir em saúde, educação, lazer, pagamento de funcionários e, inclusive, em pavimentação de rodovias, sinalização de trânsito e afins. Portanto, governadores e prefeitos administrarão a forma de investir a arrecadação do IPVA de acordo com as necessidades do estado ou do município.

Qual a melhor forma de realizar o pagamento?

A maioria dos estados permite o pagamento do IPVA de três formas:

· à vista com desconto na primeira parcela;

· à vista sem desconto no mês de vencimento da segunda parcela;

· parcelado em três meses.

Saber a melhor maneira de pagar variará conforme a condição financeira de cada um. Se o proprietário do veículo tem o valor completo do tributo e esse pagamento não afetará outros compromissos, o pagamento à vista pode ser a melhor opção, pois assim você economiza com o desconto e já fica livre dessa despesa.

Mas se você não tem o valor total ou esse pagamento impactará negativamente suas finanças, divida o valor e vá se organizando mensalmente. A única opção que não pode ser levada em consideração é não pagar o IPVA. Entre outros, disso pode advir consequências como:

· apreensão do veículo;

· não recebimento dos documentos do ano corrente (veículo irregular);

· inscrição do nome do contribuinte na dívida ativa;

· execução fiscal.

Existem alternativas para o pagamento do IPVA?

Já que não pagar o imposto não é uma alternativa a ser considerada, como opção para fazer o valor do IPVA “doer menos no bolso” você pode compartilhar seu carro durante o ano.

Aplicativos de aluguel de carro estão a todo vapor no Brasil. Basta anunciar seu veículo e receber dinheiro pelo aluguel, quando você não o estiver usando, e com toda segurança. Assim, você garante um dinheiro para o pagamento do IPVA e ainda sobra algum para investir em outras coisas.

Então, neste post, vimos que o pagamento do IPVA é obrigatório a todos os proprietários de automóveis. O valor arrecadado não tem destinação específica, mas você pode cobrar das autoridades melhorias na sua cidade, pois é para isso que os recursos devem ser utilizados. Considere compartilhar seu veículo em aplicativos. É seguro e você consegue pagar seu imposto com mais facilidade.

Se este artigo foi útil para você, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro das novidades sobre compartilhamento de veículos e mobilidade urbana. Estamos no Facebook, TwitterInstagram e LinkedIn.

Entre na discussão